Notícias

 

⛓PELO FIM DO TRABALHO ESCRAVO⛓

A 54ª Vara do Trabalho de São Paulo condenou uma marca de roupas ao pagamento de R$ 6 milhões em um processo sobre que verificou a existência de trabalho escravo em suas indústrias. Para a magistrada, ficaram provadas as condições de meio ambiente de trabalho, saúde e segurança precárias e degradantes em oficinas de costura clandestinas que trabalhavam para as lojas da rede. A condenação foi confirmada pela 4ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região.

O valor da indenização foi dividido da seguinte maneira: R$ 4 milhões por danos morais coletivos e R$ 2 milhões pela prática de dumping social (quando uma empresa se aproveita da precarização do trabalho para reduzir os custos). O valor será destinado ao Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT).

? Saiba mais sobre o processo: http://bit.ly/FimDaLinhaParaTrabalhoEscravo

⚠Se você identificar casos suspeitos, disque 100 e denuncie!

Descrição da imagem #PraCegoVer: vitrine de loja de roupas sombria expondo um manequim e pessoas em situação de trabalho escravo. Texto: DESPIDOS DE DIGNIDADE. Marca de roupas é condenada a pagar multa de R$ 6 milhões por trabalho escravo. Ação movida pelo MPT alegou condições degradantes e jornadas excessivas.

Fonte: CNJ

 


logo 2Esplanada da Barra. Avenida das Américas, 3939, Bloco 1, loja T, Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, RJ. CEP 22.631-003.

Central de Atendimento

+55 (21) 3576-1269

WhatsApp: https://wa.me/5521976596146
cartorio@registrocivilbarra.rio
horário especial em decorrência da pandemia (COVID-19): Segunda à Sexta, das 10 às 16h 
Sábados, domingos e feriados - plantão para registros de óbitos, das 9 às 12h.

Curta nosso Facebook

  Instagram